Pesquisa:

Comentários Postados em 2010

voltar Comentar Imprimir

 

Francisco comentou: janeiro 15th, 2010 at 9:59 am

Prezado AMIGO Sr. Feiz, Com relação ao escrito: Critério Salarial, é muito difícil, em um sistema capitalista ,chegar a uma fórmula que poderíamos dizer que é a correta. Mesmo nesta fórmula que o Senhor acha ideal, que é a remuneração acima da capacidade e do trabalho,o empregado, normalmente gasta o que ganha, e normalmente acima do que ganha. Então sempre haverá este conflito, pois o patrão acha que esta pagando muito bem, o empregado, por estar gastando muito, acha que esta ganhando sempre menos do que deveria ganhar. A meu ver, a relação humana entre empregador e empregado, pesa muito para alguém querer mudar de trabalho, só visando o rendimento.Claro que a boa remuneração é bem vinda, visto que é ela que mantém a subsistência do indivíduo e sua família. e ela estando acima da capacidade e trabalho, fará com certeza, que aquele empregado procure crescer profissionalmente e adequar a situação, o que acarretara em sucessos mútuos. De seu amigo Francisco -.


Jefferson Birman comentou: janeiro 25th, 2010 at 11:17 am

Bom dia, caro Feiz. Fiquei muito Feliz[como esta no Aurélio,ditoso,afortunado,prospero,contente,alegre,bem-sucedido,bem lembrado]em conhece-lo.Vou continuar lendo suas palavras,da primeira vez vi que preciso colocar em pratica muitas delas.Esta sendo muito bom conhecer seu blog.um abraço fraterno.Jefferson


Magda Clementino comentou: fevereiro 6th, 2010 at 12:33 pm

Meu amigo, não me canso de ler as belas poesias!Me encantei com Duas Almas! "Grande" abraço meu"Grande" amigo. Maguinha


Nunes comentou: fevereiro 6th, 2010 at 8:45 pm

Prezado Feiz. A bela "Dani" não teve mesmo outra alternativa, senão a de fazer aquele pagamento que, por certo, não foi aceito pelo cavalheiro. Temeu ela que o marido, se seu "descaminho" descobrisse, lhe abandonasse e não mais lhe deixasse perambular, livre, leve e solta por aqueles caminhos da "big Aplle".


Terezinha Grey comentou: fevereiro 7th, 2010 at 11:33 am

Acabo de ler sua nova página (SELETAS) e amei, principalmente, o conto. Sempre estou vendo seu blog. Abraços e bjs.


Beatriz comentou: fevereiro 8th, 2010 at 12:30 pm

Adorei!!! E olha q existem mil "Danielas" por ai! bj grande! bi@


Beatriz comentou: fevereiro 8th, 2010 at 12:32 pm

Muito boa mesmo esta historia!!! E o que mais existem são "Danielas" por ai!!!!! bjs Bi@


Cris (a filha Paulistinha do Sr. Feiz) comentou: fevereiro 9th, 2010 at 12:36 am

Sr. Feiz, adorei ler as estorinhas. São ótimas!!! Gostei mais do conto "Majestoso Brilhante". Tem uma inteligência escondida que somente as mulheres conseguem (rsrsrs) mas não posso deixar de dizer que a segunda estorinha também é interessante. Espero o senhor em São Paulo para passearmos bastante. Beijos. Com carinho. Cris


Virginia comentou: fevereiro 9th, 2010 at 4:05 pm

Feiz meu ídolo. Adorei mesmo e, cada vez mais me convenço da sua inteligencia,liderança e capacidade intelectual. Vou breve aí beber desta fonte inesgotavel…. bjs. saudades. vi


Andrea Antero de Carvalho Weyne comentou: fevereiro 9th, 2010 at 4:14 pm

Caro tio Feiz Somos muito honrados em te-lo como este modelo em todos os sentidos pois,cada vez que lemos o que vem de você ou escutamos suas palavras,fica ainda mais claro sua inteligencia e sua magnifica capacidade literaria…. Continuarei acompanhando seu blog pois,é sempre um conhecimento que me atrai muito…..carinhos.Deia


Cris (a filha Paulistinha do Sr. Feiz) comentou: fevereiro 10th, 2010 at 12:22 am

Querido Sr. Feiz! O senhor está muito bem na foto do blog e a saudade me bateu no coração. Vá se preparando para andarmos muito em SP. Poderemos ler juntos na Saraiva ou na Fnac. O senhor escolhe, ok?! Muitos beijos e até outra hora. Beijos. Cris.


Beatriz comentou: fevereiro 11th, 2010 at 6:06 pm

Mais dois palíndromos: "ovo novo" Nagib ama Bigan"


Leila comentou: fevereiro 12th, 2010 at 10:41 am

Pai, Li o conto do Roberto e me identifiquei com ele pois minha memória anda péssima!!!!!!!!!!!! Parabéns pelo blog pois toda vez que entro nele tem uma novidade e isso me enriquece culturalmente e me deixa orgulhosa de ter um pai tão sábio e culto Beijos


Luana comentou: março 1st, 2010 at 2:55 pm

Olá Sr. Feiz, Infelizmente não vou poder fazer a tão esperada crítica a seus escritos rsrsrs… Gostei muito de todos dois contos que o senhor me indicou("O amor no deserto", e "O majestoso brilhante"). Estou encantada com todo o conteúdo de seu blog. Estarei sempre freqüentando estas páginas e volta e meia farei novos comentários. Um grande abraço de sua mais nova admiradora. Luana.


NEWTON NOGUEIRA F. NETO comentou: março 2nd, 2010 at 11:42 pm

CARO FEIZ INTERESSANTE ESTE "CAUSO" SOBRE A FAMILIA REAL. FIZ PARTE DA JUVENTUDE MONÁRQUICA CEARENSE E LUTEI PELO RETORNO DA MONARQUIA, SONHO DE TER UM FISCAL DA NAÇÃO, QUE DELA CUIDASSE DE MANEIRA ISENTA DE INTERESSES EFÊMEROS. ACHEI SEU BLOG MUITO RICO DE ASSUNTOS, E VOCÊ ESCREVE DE MANEIRA TRANQUILA, SEM SER PROLIXO, E RÁPIDA, SEM ATROPELAR OS NECESSÁRIOS DETALHES DO FATO. SE ME PERMITE, SUGIRO CRIAR UM LINK PARA, AO CLICAR NO ASSUNTO, A PÁGINA ROLAR ATÉ O INÍCIO DO MESMO. ATÉ BREVE ABRAÇO NEWTON


Cris (a filha Paulistinha do Sr. Feiz) comentou: março 5th, 2010 at 12:57 am

Olá Sr.Feiz, quanto tempo que não nos falamos… É muito bom ler tudo que escreve. Estou sentindo falta de novas estórias, contos e novidades, pois são muito inteligentes. Beijos. Com carinho. Cris.


Marcio Antero de Carvalho comentou: março 6th, 2010 at 10:45 pm

Caro Feiz Meu grande abraço. Tenho acompanhado seu blog e venho cumprimenta-lo,pois,é lucido claro e brilhante. Só poderia vir de você,pois sempre espelhaste conhecimento impar e especial. Parabens sempre.O cunhado e admirador.Marcio


IVANEI SOUZA comentou: março 23rd, 2010 at 8:52 pm

Gostei muito do seu Blog, muito criativo e interessante. Abraços Nei


Carolina Bahmed comentou: março 27th, 2010 at 8:23 pm

Vovô, Gostei muito do seu blog, ele é muito interessante, e fiquei impressionada ao saber que qualquer pessoa possa criar uma fonte de conhecimento com o senhor criou. Beijos da sua netinha, Carol

PS:Vovô, aqui está o poema em que o senhor insistiu tanto para lhe contar novamente:

MINHA HISTÓRIA, MINHAS LEMBRANÇAS Carolina Bahmed

Oh!Que saudades que tenho
De quando era pequenininha
De quando era bebêzinha
Toda espriguiçada!

Sem escola, sem trabalho
Que bôa a vida não era?!
Dormir e sonhar Dormir e sonhar
Era tudo que fazia

A vovó, o vovô
Não tiravam os olhos de mim
Era a única.
Toda orgulhosa!

Muito espertinha
Pois é, tamanho não é documento
Sempre levada
Ninguém aguentava!

Oh!Que saudades que tenho
De quando era pequenininha
De quando era bebêzinha
Toda espriguiçada!

Beijos Vô, Te amo!


José Oswaldo de Miranda Jr. comentou: março 28th, 2010 at 8:32 pm

Feiz, é muito dificil pra gente tecer qualquer comentário a seu respeito. Você sempre foi e sempre será motivo de muito orgulho não só pros seus amigos, mas principalmente pra aqueles que tem o privilégio de serem seus parentes. Desde a muito tempo atráz que eu sempre tive uma admiração especial por você e além disso muito do que você falou guardo até hoje e através de sua prima querida Guili, que por acaso é minha mãe soube melhor que ninguém tudo a seu respeito. Meu primeiro emprego de carteira assinada devo a você e talvêz você nem se lembre. Outra coisa que nunca me esqueci foi quando você me disse numa conversa informal, que o maior patrimônio que um homem poderia ter seria investir em obras de arte e hoje por coincidência pude evidenciar isso trabalhando com seu amigo Mauro Tunes,Presidente da Fundação Inimá de Paula. Resumindo, falar de um ser humano como você é muito facil, mas ao mesmo tempo muito dificil, pois faltariam adjetivos no nosso pobre vocabulário brasileiro pra dzer quem é, em sua essência, Feiz Nagib Bahmed. Parabéns por você ser, na sua própria essência você mesmo. Continue sempre assim que os beneficiados serão sempre seus amigos e admiradores. Um abraço muito carinhoso do seu primo e amigo José Oswaldo.


Márcia Nunes comentou: maio 3rd, 2010 at 10:17 pm

Só hoje, depois de uma ligeira troca de e-mails, em que um dos assuntos foi o seus gosto por pôquer, fui conhecer mais uma de suas jóias raras: Majestoso Brilhante, lapidado com ciência, pois conhecedor das regras do jogo; e com arte pois,poia a trama nos leva a um ambiente de quase suspense, e acaba revelando uma infidelidade, que até o último momento, seria insuspeita. E seu talento vai ficando cada vez mais, acima de qualquer suspeita. Adorei!


Alisson Rezende comentou: maio 8th, 2010 at 10:37 pm

JESUS CRISTO FOI UM GRANDE MESTRE ASSIM COMO O SENHOR.TER O DOM DA ESCRITA DISSIPAR TODO ESTE CONHECIMENTO E FAZER O BEM AO PROXIMO ASSIM COMO NOSSO IRMAO JESUS,PARABENS PELO TALENTO.ABRAÇO ALISSON CUNHADO ANDREA.


josssssssse olyntho filho comentou: maio 16th, 2010 at 2:17 am

Que bendita e feliz surpresa deparar com um blog assim, tão dadivoso e rico!Admirável o seu talento ao escolher poemas tão sensibilizantes!Agradecido embora,tenho um mistério na vida: o desejo insatisfeito que me punge desde que a li, de rever a tradução de Manoel Bandeira desta jóia de finíssimo lavor! 1 Tenho um segredo n'alma, um mistério na vida/ 2 Um amor eternal que nasceu de repente/ 3 A dor é sem remédio. em mim vive escondida/4 E aquela que a gerou não a sabe existente…cujo final se me não falha a memória ele traduziu: …….indiferente e bela,sem saber / 12 que um murmúrio de amor seus passos seguirá "13 (Ela dirá Lendo esses versos cheios dela,14-Quem será tal mulher. e não compreenderá.Estou há anos pesquisando a obra dele, inutilmmente até agora.Será que alguém me ajudará?Ficarei assiduo desse bloc na esperança de encontrar!Gratos Olyntho


Elenice comentou: maio 23rd, 2010 at 10:48 am

Prezado Feiz, Visitando mais uma vez o seu blog, li o belíssimo soneto "Arvers". Invejável essa capacidade de traduzir em versos emoções e desejos tão íntimos e que, ao mesmo tempo, falam por todos nós. Quem nunca teve um amor assim, secreto? Li, também, outro dia, um verso que muito me emocionou: "Teus Passos". Igualmente belo e que me tocou profundamente. Seu talento e sensibilidade são admiráveis! Te admiro muito. Um abraço da amiga, Elenice.


Sueli Gouveia comentou: maio 26th, 2010 at 12:28 am

"Se procurar bem você acaba encontrando. Não a explicação (duvidosa) da vida, Mas a poesia (inexplicável) da vida." Carlos Drummond de Andrade. Então….com esse trecho do Drumond revelo a idéia que tenho do uso esgotável da memória , apesar de apavorante admitir que ela nos deixa cada vez mais cedo, delegamos as agendas eletrônicas o simples fato de lembrar….mas a poesia do que consquistamos, o sentimento, nossos amigos , pessoas queridas elas jamais nos deixarão… Um grande abraço, Feiz e parabéns pelo seu lindo trabalho… Sueli Gouveia.


Daniella Matta Machado comentou: junho 11th, 2010 at 5:12 pm

Sr. Feiz, Hoje pude passear no seu blog… quanta alegria! Fico encantada em ver o quanto o senhor consegue expressar e transmitir esse grande amor que tem pelas pessoas. Obrigada pela oportunidade. abraços, Daniella PS.: Estou esperando o convite para o sarau.


Márcia Nunes comentou: junho 28th, 2010 at 11:12 pm

Extraordinário escrevedor de cartas: Essa carta que acabo de ler me tirou o fôlego, seja pelo seu rico conteúdo, seja pela seriedade que empresta aos escritos que lhe tocam ou instigam; ou ainda pela inteligência desnorteante de Coeli. Deste modo, sob o espanto de seus talentos, em estado de mudez e encantamento, faço minhas, suas palavras: "Os bons escritos, além do prazer de lê-los, resta neles a alegria de poder revê-los e, assim, recordar o de bom que eles contenham". Cumpre-me, cheia de graça, o papel de ledora. Kisses, meu amor!


Renata Reda comentou: julho 4th, 2010 at 7:44 pm

Caro Feiz, Hoje tive o prazer de conhecer seu blog. Obrigada pela oportunidade de ler coisas tão sérias de uma forma tão suave e agradável. Adorei o artigo "A escola e a vida", como o Sr. sugeriu, e também gostei das dicas de como reconher um CPF falso. Acho que será útil para alguns amigos do comércio. Um forte abraço, Renata Rêda.


Marta Roriz comentou: agosto 3rd, 2010 at 3:28 pm

Sr Feiz, adorei de verdade o texto Administração por metas", pois não sei se lembra, fui sua gerente no banco Real até Dez de 2009, quando adoeci, por conta das malditas metas e o banco me demitiu estando ainda de licença.É fantástico perceber como este texto "conversa com a gente", pois nunca tinha lido algo que falasse do que o empregado sente com as metas, com tanta verdade.Obs. Da última fez que enviei meu comentário, parece que vc não recebeu…Pode confirmar se recebeu este?Um abraço forte.


Ivanei Souza comentou: agosto 23rd, 2010 at 7:10 pm

Boa Noite Sr. Feiz, Adorei o conto "A MORTE NO MERCADO" que na verdade não será no mercado. Como sempre seus contos e seus dizeres me prendem a atenção, Para mim é uma honra conhecer uma pessoa com as suas qualidades. Abçs,


Aloisio Cirilo Coelho comentou: agosto 23rd, 2010 at 10:04 pm

Eesta noite atravez das imagens e o filme eu conheci a cidade do serro, fiquei encantado e vejo a hora de passar um fim de semana nesta maravilhosa cidade.parabens FEIZ BARMED por este documentario muito bom .


Suelem Cunha comentou: agosto 27th, 2010 at 5:33 pm

Adorei o Blog e especilamente o artigo "A Carta Morreu", que com a chegada da tecnologia e sua frequente mudança se perdeu a qualidade e a profundidade da comunicação entre as pessoas…mas por outro lado a comunicação virtual tem facilitado e potencializado os relacionamentos, pois temos a possibilidade de nos comunicarmos na medida que o fenômeno está acontecendo. Como toda mudança, temos os ônus e os bônus. Abs,


Camila-Euroville comentou: agosto 30th, 2010 at 10:45 pm

Sr.Feiz!!!!!!!!!!!!Nossa que presente esse seu blog!!!O Sr Está de parabéns!è lindooooooooooooo! Abraços!Vai lá na Euroville!!!!!!!


Marta Roriz comentou: agosto 31st, 2010 at 2:22 pm

Feiz,este conto, mais uma vez, me fez lembrar, meus primeiros anos de casada.Casei-me com 20 anos e na verdade era muiiiitooo consumista e quase todos os dias, eu voltava para casa com uma sacolinha, de sapatos, de blusinhas, de bijouterias e de tudo que tivesse direito.Só que o marido, também muito jovem, começou implicar com todas aquelas inhas que chegava lá em casa. De fato eram inhas, pois estava na fase da quantidade e não necessariamente da qualidade.Sabe o que eu fazia? Passei a usar bolsas maiores, para que eu pudesse trazer as compras, escondidas lá dentro, de vergonha, olha só… E o pior que as minhas amigas também faziam a mesma coisa, e tem algumas que fazem até hoje.


Fabricia comentou: agosto 31st, 2010 at 7:04 pm

Sr.feiz realmente fiquei maravilhada com a riqueza de seu blog…ja sou fã e tenho muitas pessoas a quem indicar que vao amar assim como eu…


Fabricia comentou: setembro 10th, 2010 at 10:00 am

Olá sr. Feiz, este conto à cima prendeu de fato minha atencao, mas achei o "Guilherme" um tremendo cara de pau, manipulador… Atencao mulheres sejam mais "marcinhas" com os maridos. abraços.


Carolina Bahmed comentou: setembro 15th, 2010 at 8:38 pm

RESÍDUO Carolina Bahmed(11 anos ) De tudo fica um pouco Fica um pouco de alegria Um sorriso no teu rosto Fica um pouco do amor Um pouco do sentimento Flor preta, flor azul Fica um pouco do céu escuro Um pouco do mar azul (…)E um pouco no teu coração] * Poema baseado na obra de Carlos Drummond de Andrade - Resíduo Vovô, obrigada pela atenção, um beijo. Carolina Bahmed


Joyce Costa comentou: setembro 17th, 2010 at 11:37 pm

Prezado Feiz… Adorei seu Blog… O Sr. disse-me em Serro no Sarau de Poesias , que eu poderia publicar alguns dos meus escritos em seu blog… Sintir-me-ei honrada com tal possibilidade. Como posso faze-la? Desde já agradeço… Abraços. Joyce Costa - Serro/MG


Gabriel Araújo dos Santos comentou: setembro 27th, 2010 at 3:37 pm

Prezado e Caríssimo Feiz, Vai aí a crônica sobre um tema que tem dado muito o que falar: AS PALMADAS. Foi publicada dia desses num dos jornais de Campinas, cidade em que resido. PALMADAS (sim) Eu não saía da casa do Kant, um dos meninos do meu grupo de brincadeiras na Rua do Quenta-Sol, na cidadezinha mineira de Peçanha, onde fui criado O pai, Seu José Erasmo, homem bem visto por todos, religioso e poeta, tinha sido um renomado artesão em couro. Morreu novo, e a esposa, Sa Chiquinha, arcada na máquina de costura de manhã à noite, passou a dar sustento à prole, dez filhos ao todo. Cheguei a conhecê-lo, e foi num tempo em que havíamos residido ali naquela mesma rua, e eu contava então com quatro anos de idade, quando minha mãe falecera em conseqüência de um parto mal sucedido. À semelhança de um cachorrinho sem dono, volta e meia estava a xeretar-lhe a tenda - o mesmo que oficina - e era quando me fazia uns chicotinhos de tiras de couro, com os quais eu açoitava os meus cavalos de cabo de vassoura ou de vara de bambu, que me levavam a inimagináveis e distantes mundos, fruto de pueris e ingênuas fantasias. Invejava, sem eiva de maldade, a ordem que reinava na casa, os arejados e amplos quartos assoalhados em que se viam os catres um ao lado do outro, as camas impecavelmente limpas e bem arrumadas, e a disciplina nos momentos das refeições, e horário para deitar-se e levantar-se. Invejava, mais que tudo, quando um deles levava umas chineladas. Quisera fosse eu estivesse sendo agarrado e sojigado, tamanha a falta eu sentia da presença de uma figura de mãe. Com o correr do tempo, já sedimentada minha intimidade com o cotidiano da casa, quantas vezes eu aprontava, de propósito, algumas estripulias. Infelizmente, Sá Chiquinha só me passava uns pitos, o que me deixava frustrado e até mesmo amargurado, que eu queria mesmo era levar umas palmadas e sentir o toque amoroso de suas mãos. Como diz o outro, "pé de galinha não mata pinto". Já eu diria, "palmada não quebra osso, e deixa marca de saudade…' Pelo menos, no meu tempo era assim.


Virginia L. N. A. de carvalho comentou: outubro 1st, 2010 at 4:15 pm

Caríssimo Feiz Realmente,o "yazul" é o que mais me encanta. Pela realidade absoluta de tudo. E esta realidade é minha parceira. bjkas vi


Gema Galgani Rezende comentou: outubro 6th, 2010 at 11:14 pm

Fiquei com tremendo medo de nao ir pro ceu, corri ate o seu blog…com certeza ele 'e um presente pra mim, e vou visita-lo muitas vezes ainda!! " Quando a memoria se esvai" eh uma cronica tao cheia de melancolia, ainda mais quando a gente constata que isso eh tao real e tao presente e esta tao perto da gente. O Sr. eh realmente um escritor muitissimo talentoso. Nao devia rasgar seus rascunhos, deve sim, publicar todos eles. Um grande beijo


Ambixbag-online comentou: outubro 12th, 2010 at 6:35 am Aprendi muito


Cleide Mourão Pires Rabelo Tolentino comentou: outubro 26th, 2010 at 11:03 pm

Belissimo!!! Sou tataraneta do Barão do Sêrro estudei lá . Minha Bisavò era a Filha do Barao.Rita de Cássia Rabelo . Sou bisneta DE Aristóteles.Pires. e casada á 31 anos com o neto de Dr.Tolentino.Helvio Nunes Tolentino Também sobrinha neta de Mariazinha Vaz Mourão.Casada Com Alcides Quitungo. Uma das fundadoras do colégio Interno São tantas Histórias, que posteriormente Pedirei ajuda ao meu filho também letrado p/a expressá-las por mim,Mozart Bicalho é da família de minha Mãe.Gostaria de conhecer você. FeliX é primo do meu esposo e meu também. Parabéns pelo intelecto e Filme do Felix Bamed da Dona Farid que estudou com Mamãe e é filho de Dr.Antonio Tolentino.(Tio Do Meu Marido) Sou muito falante Amo família. Parabéns de novo para vocês . Darei mais retorno. Incrível….Nosso Sêrro das Minas Gerais.Num alto azul do espinhaço, cheio de ouro e Cristais, Qual águia fitando o espaço Sêrro das Minas Gerais.Já; sua Humilde admiradora.Cleide


Aura Dias da Costa comentou: outubro 27th, 2010 at 12:19 pm

Memorável inteligência sensibilidade!Parabéns pela oportunidade de devanear com seus belos escritos. Aura Dias da Costa e Angela Maria da Costa


Márcio de Ávila Rodrigues comentou: outubro 29th, 2010 at 3:10 pm

Sr. Feiz, saudações. Encontrei no Google uma referência a "Teotonio Magalhaes" associada ao seu blog mas não consegui localizá-la diretamente. Tenho interesse pois estou redigindo um texto sobre um crime ocorrido no Serro em 1926 que teve como escrivão o sr. "Theotônio Magalhães Sobrinho" e gostaria de checar se se trata da mesma pessoa. Um abraço de Márcio, filho da serrana Genny.


Cleide Mourão Pires Rabelo Tolentino comentou: outubro 31st, 2010 at 1:22 am

Para você FEiz e Félix Bamed Pires Tolentino Ouso espressar Fernando Pessoa. Então a lua toda brilha, Porque Alta Vive. Encantada, vi atravéz de tudo, Muinto da minha História. Agradeço de Alma arrebatada.


Silvia P. Sophia comentou: novembro 7th, 2010 at 1:08 pm

Suas crônicas estão a altura dos famosos cronistas brasileiros. Vivendo aqui em Toronto, no Canadá, onde é escassa a literatura brasileira, me encanto com seu BLOG, que frequento e,com ele, ajudo meus filhos a se encantarem com a literatura dessa minha saudosa terra, onde "não canta o sabiá!"


Clis comentou: novembro 11th, 2010 at 8:44 am

Haverá sorteio de um livro de contos no final do ano. Para concorrer, acessar o blog: kikabarcelos.boaleitura.zip.net Poderá participar até o dia 01/12. O sorteio será no dia 06/12.


Beatriz Tolentino comentou: novembro 16th, 2010 at 5:47 pm

Tio Feiz, Adorei o texto da Formiguinha!! Confesso que lendo aquilo tao bem escrito, cheguei a sentir pena da formiguinha e a ïncrimina-lo"kkkkkkkkk Na realidade, na vida é mesmo assim: a gente luta tanto mas tanto que acabamos perdendo as forcas!!!Mas acho que no caso dela, era um "dispiste"para faze-lo ter remorso e tirar o copo!!!!!para liberta-la!!! beijos!! Bi@


Beatriz Tolentino comentou: novembro 16th, 2010 at 5:48 pm

Quem me dera se alguem "tirasse o copo" pra mim!!!!!


MARIA HELENA MENEZES LIMA comentou: novembro 17th, 2010 at 11:40 am

Sr feiz, sou Maria Helena do Didi, amiga da sua idolatrada filha Leila. Ja sabia, ha muito.da sua capacidade intelectual. Mas.hoje, a Bia mandou-me seu Blog e tive a oportunidade de deparar com a belezado que escreve. Pessoas como o sr, so engrandecem a nossa literatura. deixado.nos orgulhosos de te-lo como amigo. Todos encantadores. Mas a Formiguinha e o amor eterno por D. Maria Helena,emocionou-me as lagimas. Sobre a sua preocupação em cometer um crime doloso, sei que jamais o faria. O senhor ficaria apenas na categoria do culposo pelas leis juridicas. Mas que final feliz… Nenhuma coisa nem outra, somente uma bela lição! Com meu carinho e meus parabéns pelo ser humano que é. Maria Helena Menezes


FRANCISCO comentou: novembro 18th, 2010 at 3:43 pm

Amigo Sr. Feiz, Acho que o sentimento e nobre, mesmo em relacao a um inseto. Apesar de que, a maioria so nos faz mal. Fico tambem com um sentimento de culpa ao tirar a vida de uma destas criaturas, pois se Deus colocou no mundo, deve ter um motivo . Parabens pelo "Anel perdido", fico feliz de estarmos no mesmo barco. Abracos, Francisco -.


Rogerio comentou: dezembro 1st, 2010 at 9:18 am

Eu gostaria de comprar um quadrodo pintor belmiro de almeida rogerio 94615384


Virginia l n a de carvalho comentou: dezembro 1st, 2010 at 2:16 pm

QUERIDO FEIZ A FORMIGUINHA NOS DÁ ENSINAMENTO DE SABEDORIA E CLAREZA,NAQUELAS SITUAÇÕES, EM QUE NOS EXAURIMOS DE TANTO TENTAR. ESTOU COMO ELA AGORA, DEBAIXO DE UMA BELA CÚPULA DE CRISTAL EM QUE DESCANSO SOB UM BRILHO COLORIDO E INTENSO DO REFLEXO DO CRISTAL E,EMBUIDA DA SABEDORIA DE UMA CRIATURINHA TÃO SAFA…E PQ. NÃO DIZER SÁBIA…RSRSRSRS MARGARIDA


IVANEI SOUZA comentou: dezembro 2nd, 2010 at 7:03 pm

Sr. Feiz, O Senhor está de Parabéns. O conto da Formiguinha é fantástico, Me fez abrir os olhos e repensar algumas coisas, Abraços de Seu Amigo Nei,


Luiza Regina comentou: dezembro 22nd, 2010 at 4:29 pm

Sr feiz, o conheci no aeroporto de BSB, quando guardavas uma cadeira "pra mim" - rs! Foi um prazer muito grande a sua cia, apesar de tão pouco tempo, porque essa me oportunizou ter acesso ao seu blog, o qual com certeza muito já está contribuindo para a minha literatura. Parabéns por sua atitude, pessoas como o Sr. fazem a diferença com certeza. Luiza de Palmas indo para Maceió.


Renata Reda comentou: dezembro 29th, 2010 at 9:33 pm

Caro Feiz, Mais um ano chega ao fim. É tempo de fazer um balanço de tudo o que aconteceu. É tempo de transformarmos:Os momentos bons em novas energias, entusiasmo e esperança.Os momentos ruins em lembretes para que não cometamos os menos erros.Mas sobretudo é tempo de agradecer a Deus por todos esses momentos. Ao Senhor um ano novo cheio de paz e prosperidade. Abraços.