Pesquisa:

O Escandaloso custo de Um Blog !

voltar Comentar Imprimir



A conhecida artista, cantora baiana, Maria Bethânia, foi, recentemente, premiada pelo Ministério da Cultura com R$1,3 milhão (um milhão e trezentos mil reais), destinados ao seu blog de poesia. De pronto, tal episódio causou espanto e indignação às pessoas e a inúmeros jornais e revistas do país.

A Folha de São Paulo de 19 deste mês de março, em destacada página (Opinião – A2), através de um seu prestigioso cronista, Fernando de Barros e Silva, a despeito de considerar ser esse um “valor bem elevado para um blog”, argumenta que inexiste ilegalidade no ocorrido.

Na realidade, o valor estabelecido no rico projeto aprovado pelo Ministério da Cultura é, pelo beneficiário, captado de empresas ou pessoas físicas, as quais, por sua vez, compensam o patrocínio com o beneplácito da isenção no Imposto de Renda, até pelo total do valor despendido, o que representa um ônus do cofre do governo, logo, por mil vezes óbvio, um gravame à sociedade.

Porém, o jornal, concordando com o ocorrido, aplaude a premiação à artista, e abre fogo intenso contra a opinião de todas as pessoas incultas e ignorantes que vêm considerando o fato um escândalo inominável. Essa opinião, diz o artigo, seria a daquelas pessoas um tanto idiotas que promovem o ”linchamento da artista” (sic) e que chegam a entender que o episódio marca um exemplo vizinho do “mafioso”. Para minha tristeza, sou um dos idiotas, que, sem pretender linchar a artista, a parabeniza por sua audácia de pedir, e abre crítica a quem teve a desfaçatez e a improbidade de conceder.

A própria ministra da cultura, Ana de Holanda, faz reiteradas críticas à Lei Rouanet, e prega sua reforma. Embora eu conheça pouco de tal Lei, pelo ocorrido, ando a pensar se se deve reformar a norma ou, ao invés, afastar quem a aplica.

Que me desculpe a ministra, mas o episódio, a nosso ver, é uma das mais altas poucas-vergonhas que se acrescenta às inúmeras outras que Brasília nos vem doando no dia a dia, enlameando o Brasil dos últimos tempos. Ainda acresce, pelo que lemos, que, do valor destinado ao blog, R$600 mil se destinam ao cachê da artista. Deus, meu! Num singelo “blog de poesia”, a cantora papa algo que poetas de renome, talvez, em toda sua vida, não tenham ganho.

O que me vem à mente é que a artista Bethânia teria se inspirado em seu irmão, o compositor Caetano Veloso, que para si também solicitou alto valor ao CNIC (Comissão Nacional de Incentivo à Cultura), para se apresentar em uma turnê. Ele, porém, teve seu projeto, de pronto, rejeitado. “Mas porém todavia contudo”, após esse fracasso, recorreu ao Ministério da Cultura, que lhe concedeu alguns milhões para, provavelmente, arcar com os custos da publicidade da sua apresentação, o que evitaria uma desastrosa escassez de público.

Falo de cátedra, pois, há tempos, possuo um blog literário – este que recebe aqui minha opinião – igualzinho, em nome, ao da felizarda, pois também, como ele, é de poesia, e, obviamente, tenho custos. Sim, como no blog não há dispêndio com papel ou tinta, arco com o pagamento da eletricidade que atende ao computador – único insumo indispensável – cerca de R$1,00 a R$2,00 na conta mensal de luz. Afora esse gasto, sofro a cobrança de R$30,00, por ano, pelo nome de domínio do “site”, o que, infelizmente, eleva meu custo anual para R$61,92 (sessenta e um reais e noventa e dois centavos).

Conhecendo que, constitucionalmente, somos todos iguais perante a lei, consultei um matemático sobre a sobrevivência de meu blog, e, em seus cálculos, concluiu ele, que se acaso me ocorrer idêntica coragem de pedir, e a ventura de conseguir junto ao Ministério igual valor ao do auferido pela “colega” Bethânia, meu blog literário vigoraria até o século XXVII, ou seja, precisamente, até a segunda quinzena de fevereiro do ano da graça de 2711, para glória e honra da Literatura Brasileira.


Observação: A notícia sobre o Projeto apresentado por Caetano Veloso ao CNIC consta da Folha de São Paulo, caderno “Ilustrada”, página E4, edição de segunda-feira, 21 de março de 2011.

Post março/2011 Feiz Bahmed