Pesquisa:

Solidariedade

voltar Comentar Imprimir


Naquela sexta-feira tão sofrida,
Na dor de seres Tu crucificado,
Tão poucos Te ajudaram na subida,
Quando ias, na cruz, ser imolado.

Como me dói saber Tua ferida,
A angústia no Teu rosto macerado!
Se há dois mil anos eu tivera vida,
Por Deus! Tu me terias a Teu lado.

Se eu, naquela tarde de tortura,
Estivesse contigo, agora, então,
Bem mais entenderia essa ternura

De ver sobre meu ombro a Tua mão,
Nas tardes de tristeza e desventura
Das minhas sextas-feiras da paixão.

 

 

Feiz Bahmed - SP, março/1971