Pesquisa:

Sete Anos de Pastor

voltar Comentar Imprimir

POETAS E POEMAS

Um blog de Literatura há por bem que começar por poemas. A começar com poemas, há de, por certo, começar com o poeta maior: Luis de Camões.

Nascido ali pelos anos dourados de 1500, ninguém lhe sabe a vida, corretamente. É, porém, um dos maiores vates do mundo.

Escolho um soneto inesquecível. E conto a história antes de contar os versos.

Ora, Labão tinha duas filhas: A mais velha chamava-se Lia e a mais nova, Raquel.  Lia, porém, tinha os olhos baços,  enquanto que Raquel era formosa de rosto, e de gentil presença. Jacó, tendo-lhe amor, disse a Labão: Eu te servirei sete anos por Raquel, tua filha mais nova. Melhor é que eu a dê a ti, do que a outro homem; fica comigo. Jacó, pois, serviu sete anos por Raquel; e estes lhe pareceram poucos dias, pela grandeza do amor; E disse a Labão: Dá-me minha mulher, pois já está completo o tempo de eu a tomar por esposa. Labão respondeu: No nosso país não é costume casarem-se as mais novas primeiro. Dar-te-ei a outra pelo trabalho que me prestarás durante outros sete anos. Acomodou-se ele à proposta, e Jacó continuou servindo a Labão outros sete anos.

Gênesis 29 - 23-29

Sete anos de pastor Jacob servia
Labão, pai de Raquel, serrana bela;
Mas não servia ao pai, servia a ela,
E a ela só por prêmio pretendia.

Os dias, na esperança de um só dia,
Passava, contentando-se com vê-la;
Porém o pai, usando de cautela,
Em lugar de Raquel, lhe dava Lia.

Vendo o triste pastor que com enganos
Lhe fora assi negada a sua pastora,
Como se não a tivera merecida;

Começa de servir outros sete anos,
Dizendo: Mais servira, se não fora,
Para tão longo amor, tão curta a vida.

Luís de Camões